::: Quer Saber? :::
:: Publicidade
::::: O básico
::::: Campanha
::::: Conceituando
::::: Criatividade
:: Agência
::::: O básico
::::: O que é?
::::: Estrutura
::::: Briefing
:: Mídias
::::: Televisão
::::: Rádio
::::: Impressos
::::: Cinema
::::: Internet
::::: Mídia Externa
:: Marketing
::::: O que é
:::::
Esportivo
::::: de Interrupção
:: Merchandising
::::: O que é
:::::
PDV
:: Subliminar
::::: O que é?
::::: Como funciona
::::: Tipos de...
::::: Cores
::::: Exemplos
:: Design
::::: O que é?
::::: Exemplos
:: Cases
::::: O que é?
::::: Caldo Maggi
::::: Delícia
:: Curiosidades
::::: Diversas
::::: Glossário
::::: Eu, etiqueta
::::: Curtas
::::: Cultura Inútil

 


 Design 

 

 

        O que é Design?

       A atividade de designer já é uma realidade no nosso mercado. Esta profissão, porém, ainda suscita dúvidas quanto as suas atribuições, funções e regulamentações. O conceito de design ainda está evoluindo, mas uma forma de caracterizá-lo de maneira abrangente seria dizer que design é a arte aplicada à indústria ou comércio. Estamos falando de uma atividade ligada a arte, ou seja, as pessoas percebem claramente o lado artístico nos designers.

       A palavra design pode também ser traduzida como desenho, embora o termo mais correto seria ilustração, segundo matéria publicada na revista Design Gráfico de autoria de Bruno Porto: "Desenhar significa representar formas através de linhas, pontos, manchas - caracterizando-se como uma ação. Ilustrar, entretanto, é um complemento visual de uma mensagem, podendo até constituir a mensagem em si: é uma função. Uma foto, um infográfico, um desenho, podem ser ilustrações. Um desenho só passa a existir como ilustração quando lhe é dada uma função representativa, quando lhe é embutido um significado".

       O design incorpora seu valor artístico quando passa a solucionar um problema de comunicação, usando, entretanto, métodos logísticos, éticos e estéticos que possam traduzir a imagem de determinado produto ou marca. É uma atividade que supõe uma visão abrangente. Fatores tecnológicos e sociológicos devem ser considerados. É preciso priorizar a necessidade do cliente, não deixando de reconhecer o aspecto global.

      Concluída esta explanação inicial, não podemos deixar de reconhecer a importância do design no competitivo mercado no qual atuamos. Para empresas que almejam crescimento e reconhecimento no mercado, é imprescindível o uso do design tanto promocionalmente quanto institucionalmente. Muitas empresas já reconheceram esse valor e estão destinando verbas mais adequadas para o design. Porém, outras tantas ainda não exploram e nem imaginam o que o design é capaz de fazer por elas. Muitas vezes, essas empresas gastam valores expressivos com design na arquitetura de suas fábricas, mas seu produto no supermercado permanece invisível aos olhos do consumidor.

       São várias as áreas onde o design deve ser usado dentro de uma empresa: no ambiente de trabalho, na programação visual de seus produtos, seus pontos de vendas, sua fachada, em seus materiais gráficos, sua comunicação eletrônica, dentre outros.

       Design não deve ser confundido com publicidade, embora ambos estejam interligados. A função da publicidade é estimular o consumo. O papel do design não é estimular o consumo, mas comunicar. Temos que reconhecer, porém, que um bom design gera melhor aceitação da mensagem e conseqüentemente estimula seu consumo.

       O design no Brasil tem pouco mais de 30 anos, sendo que o marco do crescimento desta atividade se deu na década de 90, com a invasão dos computadores e estações gráficas nas empresas. É um mercado jovem, mas em expansão. Grandes passos foram dados com a evolução tecnológica do setor, facilitando a vida dos designers e atraindo inúmeros novos profissionais para o setor, mas ainda há muito para ser explorado e aprendido.

Tânia Sieves Gonçalves

 

 
Notícias Vip

 
Se você quiser
receber notícias Vip,
cadastre-se:

 

O 1º Portal Catarinense de Publicidade e Propaganda