::: Menu :::
:: Colunas
:: Artigos Técnicos
:: Vip Links

Enquete do Fórum

 
Que assunto deveríamos abordar no próximo Fórum?

Merchandising
Publicidade Online
Marketing Esportivo
Ética na Publicidade
   

 

 

 Debates do Fórum 

::: Críticas :::
 
Envie sua opinião
sobre este texto
para o nosso e-mail:
contatos@alavip.com.br

Assim que recebermos, estaremos publicando seu texto para esquentar os debates.
 

       Acredito que a função do designer é bem importante, porém, não consigo medir essa importância. Tal como a propaganda, o processo criativo é a chave principal, mas não sei se quando o cara cria uma logomarca, por exemplo, ele está pensando em inovação, ousadia, sensibilidade, metodologia ou está visando o bem estar da comunidade. Muitas vezes a idéia vêm e é aplicada apenas pelo simples fato de ser a melhor opção no momento, ou por que não se consegue pensar em nada melhor, ou simplesmente porque ficou “legal”. Sinceramente não acredito que se aprenda a fazer design, assim como não se aprende a criar. Você aprende a fazer uso das ferramentas, aperfeiçoa sua habilidade, mas não aprende a ser criativo.

       Da mesma forma, alguns afirmam que o conhecimento em informática é indispensável para ser um bom designer. Também não tenho tanta certeza sobre isso. O que importa é saber o que se está fazendo, independente da ferramenta utilizada. A humanidade sobreviveu milhares de anos sem o computador. Quem sabe usá-lo, ótimo. Mas não quer dizer que quem não saiba ou quem não goste está em desvantagem. O que importa são as idéias, a forma de enxergar as coisas e as soluções que você pode dar para o seu cliente. Se você não sabe passar isso pro computador, é só pedir pra algum amigo fazer isso.

20/02/02
Juliano Russi
 juliano@alavip.com.br 

       É bem verdade, Juliano, que criatividade não se aprende, assim, num passe de mágicas, do dia para a noite, como se aprende um capítulo de Direito Penal ou a bordar ou a andar de patins, mas a Criatividade, esta famigerada, a criatividade que assemelha à "inspiração", já não é o que mais conta para o Publicitário.

       E é através da TÉCNICA que "você aprende a fazer uso das ferramentas e aperfeiçoa sua habilidade", ou seja, "aprende" como ser criativo do jeito "certo", ou seja, para um fim.

       O Designer não é um "criativo" com idéias mirabolantes. Ele é uma pessoa com feeling e bom gosto, sim, mas que somente através da metodologia ele se torna um verdadeiro profissional, um Designer.

       O conceito visual de um produto, uma empresa, um espaço, é mais importante do que muitas pessoas pensam (mesmo as inteligentes e que sacam de comunicação).

       E sabe quando elas vão aprender? Quando abrirem seu próprio negócio ou estiverem responsáveis por uma conta e precisarem fazer uma programação visual, uma logomarca, uma webpage, e pedirem "pra algum amigo fazer isso".

       E aí acontece aquilo que a gente vê muito: Se o profissional cobra X e o sobrinho faz por X/2, "contrata-se" o sobrinho, e a sua marca vai ficar lá, em algum lugar desconhecido, por muitos e muitos anos, até que o seu concorrente resolva investir no profissional que você descartou, e suba, suba, muito mais do que você, ganhe mais dinheiro do que você, muito mais. E você vai continuar feliz pois economizou 50% lá atrás escolhendo "o sobrinho"? E quanto já deixou de ganhar, se não perdeu?

       Não esqueçam, futuros empersários e futuros publicitários, uma marca bem resolvida é credibilidade. E é por isso que o cliente paga ao consumir seu produto, pela segurança, pela impressão, pelo que diferencia você do seu concorrente.

Élida Lima
Estudante de Publicidade e Propaganda
Universidade da Amazônia
Belém - Pa

 
Notícias Vip

 
Se você quiser
receber notícias Vip,
cadastre-se:

 
O 1º Portal Catarinense de Publicidade e Propaganda