::: Quer Saber? :::
:: Publicidade
::::: O básico
::::: Campanha
::::: Conceituando
::::: Criatividade
:: Agência
::::: O básico
::::: O que é?
::::: Estrutura
::::: Briefing
:: Mídias
::::: Televisão
::::: Rádio
::::: Impressos
::::: Cinema
::::: Internet
::::: Mídia Externa
:: Marketing
::::: O que é
:::::
Esportivo
::::: de Interrupção
:: Merchandising
::::: O que é
:::::
PDV
:: Subliminar
::::: O que é?
::::: Como funciona
::::: Tipos de...
::::: Cores
::::: Exemplos
:: Design
::::: O que é?
::::: Exemplos
:: Cases
::::: O que é?
::::: Caldo Maggi
::::: Delícia
:: Curiosidades
::::: Diversas
::::: Glossário
::::: Eu, etiqueta
::::: Curtas
::::: Cultura Inútil

 

 

 Marketing de Interrupção  


       
Considera-se marketing de interrupção, todo tipo de publicidade que destina-se a desviar nossa atenção de qualquer coisa, a qualquer custo. Seja durante o nosso programa de TV preferido, quando repentinamente, no clímax de uma cena, somos acometidos pelas propagandas que não acabam nunca. Seja pelo telemarketing, que muitas vezes nos tira do sossego de nossa vida com aqueles telefonemas onde você é praticamente forçado a entregar seus dados, simplesmente para satisfazer a vontade das telefonistas insistentes e se ver livre, o quanto antes, daquela chatice.

        Estas táticas de marketing vem se desgastando ao longo do tempo. Hoje, as empresas já se conscientizaram de que a intromissão desagrada e muito aos seus consumidores.

        Como nenhuma empresa sobrevive sem propaganda, profissionais de marketing têm sido desafiados a cada dia, a buscarem novas alternativas seguras e viáveis aos seus clientes.

Marketing de Interrupção
A abordagem tradicional para atrair a atenção do consumidor

        Para que um comercial funcione, é necessário que este, de algum modo, interrompa nossa cadeia de pensamentos, plantando algum tipo de semente, em nosso consciente ou inconsciente. Uma vez interrompendo nossos pensamentos e direcionando nossa atenção ao comercial, o segundo passo é levar-nos a praticar alguma ação. Se o comercial prendeu nossa atenção, mas não nos levou a praticar a ação desejada pelos anunciantes, a publicidade fracassa. No entanto, como o mercado da publicidade está cada vez mais congestionado, fica cada vez mais difícil interromper o consumidor. O engraçado é que os profissionais de marketing têm reagido a esse problema da pior maneira possível. Para lidar com este congestionamento todo e com a reduzida eficácia do Marketing de Interrupção, eles estão interrompendo ainda mais!

        Nos últimos 30 anos, os anunciantes têm aumentado de modo espantoso seus gastos com publicidade. Sempre buscando técnicas novas para interromper ainda mais o seu dia.

        Além deste congestionamento do mercado publicitário, os profissionais têm se deparado com outro problema. Os consumidores já não se preocupam tanto quanto antes com a qualidade dos produtos pois estes estão a cada dia mais resistentes e duradouros. Muitas vezes o consumidor se acostuma com uma marca que supre suas necessidades e a adota como companheira fiel. No entanto, isso não impede que nosso hábitos sejam alterados por uma nova marca que surja no mercado. É por este motivo e pelos incríveis lucros que uma nova marca pode proporcionar, que os profissionais de marketing não se cansam de se intrometer na vida dos consumidores, sufocando-os com todos os tipos e táticas de propaganda imagináveis.

Como manter vivo o marketing de massa

        A grande fragmentação das mídias é uma realidade. As revistas estão direcionando cada vez mais seus conteúdos aos diferentes públicos e assuntos. Assim também os jornais, as rádios e a televisão. Esta fragmentação, aos poucos vem causando a morte das mídias de massa. Para o profissional de Marketing deve estar claro então, que não existe mais a possibilidade de se atingir porcentagens significativas da população com um único veículo de comunicação.

De que forma os profissionais de Marketing estão lidando com esta situação?

Estão adotando praticamente quatro táticas para manter vivo o marketing de massa:

  1. Estão gastando mais em lugares pouco convencionais. Não apenas em anúncios tradicionais de TV, mas em uma grande variedade de meios de comunicação interessantes e pouco conhecidos.
  2. Fazendo anúncios publicitários cada vez mais controversos e divertidos. É o entretenimento tomando conta dos anúncios. Um efeito colateral desse entretenimento é que ele dá ao profissional de marketing cada vez menos tempo para de fato fazer marketing.
  3. Estão também utilizando cada vez mais comerciais de apenas 15 segundos de duração. Destes 15, de 10 a 12 segundos são dedicados a atrair a atenção do consumidor e apenas os poucos segundos restantes são usados para a logomarca, o benefício e à chamada a ação.
  4. Mudam as campanhas publicitárias com maior freqüência para que elas continuem "interessantes e atuais".
    Estão abandonando a publicidade e substituindo-a por mala direta e promoções. Os profissionais de marketing agora alocam 52% da verba anual destinada a publicidade para mala direta e promoções, um aumento significativo em relação aos últimos anos.

Os profissionais do Marketing de Interrupção
em um beco sem saída

Os problemas com que ele se depara são:

  1. Os seres humanos têm uma quantidade finita de atenção.
  2. Os seres humanos têm uma quantidade finita de dinheiro.
  3. Quanto maior o número de produtos oferecidos, menos dinheiro há para circular.
  4. Para conseguir captar mais atenção e mais dinheiro, os profissionais do marketing de interrupção precisam aumentar os gastos.
  5. O aumento na exposição ao marketing custa muito dinheiro.
  6. Gastar cada vez mais para conseguir retornos maiores leva a um congestionamento publicitário ainda maior do que o já existente.
  7. O beco sem saída: quanto mais eles gastam, menos o marketing funciona. Quando menos ele funciona, mais eles gasta.

 

 
Notícias Vip

 
Se você quiser
receber notícias Vip,
cadastre-se:

 

O 1º Portal Catarinense de Publicidade e Propaganda