::: Menu :::
:: Colunas
:: Artigos Técnicos
:: Vip Links

::: Tá na Mídia :::
 

www.d-araujo.com.br


Elton: No quadro Brainstorm do Programa Tá na Mídia recebemos hoje HÉCTOR VALENTE FRANCO, Diretor de Planejamento da D'Araújo, que hoje vem nos fazer uma visita e contar um pouco desses 19 anos da agência no mercado de Florianópolis/SC.

Héctor: Esses 19 anos que a D'Araújo já está batalhando no mercado é um bocado de tempo e ela, de certa forma, acompanhou a evolução do mercado publicitário em Santa Catarina. Claro que a gente tem agências e outras iniciativas com mais tempo. Nós temos agências aqui em SC com mais de 40 anos de mercado mas de uma certa maneira esses últimos 20 anos representaram a profissionalização do mercado catarinense, onde diversas empresas apareceram, se estabeleceram e pularam de padrão. Então, desenvolvemos hoje em Santa Catarina, uma propaganda em nível de qualidade criativa de produção e de planejamento, compatível com qualquer outro grande mercado do Brasil.

Elton: A D'Araújo se denomina uma agência simples com idéias grandes. O que vocês querem dizer com isso?

Héctor: Na verdade esta é uma postura que sempre adotamos, onde geralmente as grandes idéias são criadas de maneira simples ou muitas vezes o óbvio pula na nossa frente e a melhor solução muitas vezes é a mais simples. Comunicação é isso: aquilo que a gente puder transmitir de maneira simplificada de forma que as pessoas consigam absorver a essência da mensagem, representa a grande verdade de todo o processo de comunicação. Transformar uma idéia simples em algo totalmente eficaz. O grande barato da publicidade é você unir as idéias com a necessidade que você tem de vender um produto ou um serviço.

Elton: Pesquisa de mercado e planejamento eficiente. Seria esse o órgão propulsor da agência?

Héctor: Justamente pensando na questão da simplicidade, a propaganda tem que se pautar de uma maneira muito consciente de que ela precisa, ela necessita fundamentalmente da participação efetiva do consumidor para desenvolver um processo criativo competente. Afinal de contas, é para o consumidor que a gente vai transportar essas idéias. E para utilizar as opiniões e as idéias do consumidor e fazer com que ele seja nosso parceiro, a pesquisa é muito importante. A pesquisa é um instrumento fantástico. Permite que o planejamento consiga, junto com a criação, desenvolver aquilo que eu chamo de "insight" criativo. Uma criatividade direcionada, competente, audaciosa, vanguardista, mas que esteja focada com a realidade do cliente. Ou seja, são três forças que fazem parte do processo criativo: consumidor, cliente e agência. E se esses três não estiverem falando a mesma língua a gente não tem uma comunicação competente.

Elton: Conforme está escrito no site www.d-araujo.com.br existem propagandas pouco criativas por aí afora. Bonitas, mas que não dão resultados. Você acha que está prevalecendo esse segmento na publicidade?

Héctor: Nós podemos falar muito pelo que a gente procura desenvolver internamente. Nós, na agência, procuramos empregar todas as pessoas que fazem parte do processo da D'Araújo, não só o departamento de criação mas todas as pessoas da agência a fazerem uma campanha criativa. E porque isso? Porque esse desejo de fazer algo conectado com a realidade das pessoas mas que tenha um "algo a mais", que tenha um diferencial é uma procura constante. E quando você exercita esse músculo criativo é como qualquer trabalho numa academia, os resultados aparecem. É como na D'Araújo: esse músculo é muito exercitado e eu acredito que temos atingido um patamar diferenciado em muitos ambientes, o que nos leva a conseguir uma série de resultados importantes tanto para o cliente em termos de negócios, quanto em resultados naquela medição que se faz do talento de uma agência através de prêmios de propaganda.

Elton: Um dos mais tradicionais clientes da D'Araújo é a Döhler, de Joinville/SC, uma das principais empresas no segmento de cama, mesa e banho. Vocês já trabalham com eles desde 1996. Como é trabalhar com um cliente como esse que atua num ramo de atividade onde a concorrência, principalmente aqui na região, é constante?

Héctor: Dá muito prazer falar sobre a Döhler, que é uma empresa fantástica para se trabalhar, eles têm 120 anos de tradição e uma solidez incrível tanto na postura empresarial quanto no desenvolvimento de produtos de soluções para os mercados em geral e aí nós falamos em uma infinidade de lugares. São mais de 50 países pelo mundo que recebem os produtos de Döhler e construir comunicação para eles também é um exercício muito interessante. E porque? Até pelo fato de ter 120 anos de história e ser uma empresa tradicional, com uma postura tradicional, com ações tradicionais e com soluções que vinham dando certo antes da nossa chegada, nós procuramos colocar uma nova visão para o marketing da Döhler. É como eu havia dito antes: aquela questão de ter o cliente envolvido no processo. Tudo isso é sucesso hoje em função da postura e da vontade do cliente. Em função disso, foi fácil fazer esse trabalho que vem cumprindo etapas.
A primeira etapa foi procurar e encontrar uma solução para o marketing da Döhler onde naquele momento decidiu-se por algo relacionado ao marketing ambiental. Como era um cliente que estava iniciando a sua comunicação em larga escala, nós tínhamos que partir para um exercício onde fôssemos construir a imagem institucional da empresa e o melhor ponto para se trabalhar foi a questão do marketing ambiental. A empresa já desenvolvia uma política ambiental fantástica. Ela havia investido milhões de dólares em recursos para que os seus efluentes, para que os seus resíduos fossem devolvidos limpos para a natureza. E isso para uma indústria têxtil era uma postura bastante inovadora e muito voltada para as necessidades internacionais. Acabamos usando isso como case de marketing, ou seja, pegar fatos como a certificação ISO 14.001, que é a certificação ambiental, e transformamos isso num filme belíssimo, para transportar essa informação à sociedade em geral e isso acabou valorizando a imagem deles como uma empresa consciente de suas responsabilidades.
O segundo momento, quando nós consolidamos essa proposta, nós entendemos o seguinte: era o momento de partir para a marca Döhler ser reconhecida como uma marca muito boa no ponto de vista de produto.

Elton: E aí vocês fizeram um segundo VT pra eles...

Héctor: Quando nós consolidamos a questão ambiental, nós pensamos: o que iremos fazer agora? Era o momento de renovar a marca, mudar, evoluir, dar uma roupa nova. E nós fizemos, em conjunto com a Döhler, uma nova programação visual e uma nova postura. Nós desenvolvemos um trabalho de pesquisa muito sério e esse trabalho nos revelou os atributos que a marca poderia transmitir: leveza, conforto, suavidade. Transportamos isso para um filme belíssimo para apresentar ao mercado a nova marca Döhler.

Elton: Tem também os "loucos por toalha". Que comercial é esse Héctor?

Héctor: Esse já é o momento atual da comunicação do cliente, onde resolvemos focar a campanha num carro chefe, que são as toalhas deles e criamos um slogan: "Toalhas Döhler e você. Inseparáveis". Então toda a campanha se desenvolveu nesse mote, onde aparecem situações engraçadas mostrando que você e a toalha são inseparáveis.

Elton: A D'Araújo também tem como clientes importantes a Eliane, que é líder de mercado em pisos cerâmicos na América latina, os Laboratórios Catarinenses, onde inclusive vocês fizeram um VT recente para o Sadol, que contava com a participação do Popó (o pugilista Acelino Freitas). Tem até um outro comercial de vocês que foi finalista do Festival de Publicidade de Nova Iorque. Enfim, uma infinidade de novidades e de trabalhos que a D'Araújo tem para nos mostrar. Eu quero agradecer a você Héctor pela presença aqui no Tá na Mídia.

07/09/2002

 
Boletim Tá na Mídia

 
Se você quiser
receber as manchetes
dos programas
semanais do
Tá na Mídia,
cadastre-se:

 
O 1º Portal Catarinense de Publicidade e Propaganda