::: Menu :::
:: Colunas
:: Artigos Técnicos
:: Vip Links

::: Tá na Mídia :::
 





Visite o site !



Elton: Hoje o quadro Brainstorm dentro do Programa Tá na Mídia entrevista o pessoal da TZQG de Florianópolis, uma agência diferenciada, embora com pouco tempo de mercado. Estão aqui conosco o Sr. Kiko, Diretor Presidente, a Rosi, Sócia-Diretora Administrativa e o Juan Manuel Mazzola, Diretor Associado de Criação.

TZQG: A TZQG tem pouco mais de um ano de mercado e temos algumas contas “pesadas” como FIESC, SENAI, SENAC, Fundação Celos. Essas contas nós consideramos fora do padrão. Nós gostamos de um outro padrão de atendimento, que é o atendimento por job. Quando alguém me apresenta um trabalho por um job, eu vibro. Com o job, você não tem uma conta de um cliente, que te entrega um trabalho, uma verba, e você trabalha nisso um ou dois anos. Mas quando te entregam um job, você tem que fazê-lo, entregá-lo e se o cliente gostou ele continua com você.

Elton: Eu acho interessante que a maioria dos teus clientes está voltada para a área educacional. Isso é uma qualidade da agência?

TZQG: Talvez tenha sido porque eu dei aula por um ano. Foi meu ano sabático. Saí da propaganda por um ano, depois de 25 anos trabalhando nisso. Me convidaram pra dar aula de filosofia. Voltei correndo para a propaganda quando vi o holerite de professor. Eu sei que é triste, é uma santa tristeza e eu acredito que um professor deveria ganhar muito mais do que ganha hoje.

Elton: No site da TZQG é citado com bastante freqüência o tempo de trabalho de cada um da agência. Um tem três meses, a Rosi tem dois anos, e você Juan, quanto tempo tem de profissão?

TZQG (Juan): Cinco anos.

Elton: E como é que você aceitou esse desafio de vir para uma agência tão nova vindo de outro país?

TZQG (Juan): Eu mudei todo o meu estilo de vida. O meu último trabalho na Argentina foi na Walter Thompson de Buenos Aires. Aí pintou essa oportunidade de vir pra cá. A coisa na Argentina já estava bem pesada e eu queria mudar o meu estilo de vida, vir para uma cidade que me propiciasse uma vida melhor, e somado a isso a proposta interessante que recebi. Eu entendo que tomar parte de uma agência desde o começo é um desafio diferente, porém interessante.

Elton: Rosi, você tem dois anos de profissão e já é sócia da agência. Como foi isso?

TZQG (Rose): Digamos que eu estava no lugar certo, na hora certa e conheci as pessoas certas.

Elton: Kiko, qual é o perfil do profissional TZQG?

TZQG: É um batalhador. Eu prefiro trabalhar com pessoas que você desenvolva. Pode ser até um profissional médio, desde que tenha um excelente caráter.

Elton: Como é que vocês estão vendo o mercado publicitário catarinense?

TZQG (Juan): O mercado Catarinense está crescendo muito, com uma velocidade incrível.

Elton: Como não poderia deixar de ser, a pergunta final quer desvendar o mistério... De onde vem o nome TZQG?

TZQG (Rose): Esse nome teve até um pouco de estratégia na hora da escolha pois é uma sigla difícil de pronunciar, mas depois que a pessoa fala pela primeira vez ela não esquece mais. De fato, não tem um significado. É apenas uma “sopa de letrinhas”.

01/12/2003

 
Boletim Tá na Mídia

 
Se você quiser
receber as manchetes
dos programas
semanais do
Tá na Mídia,
cadastre-se:

 
O 1º Portal Catarinense de Publicidade e Propaganda